Constelações Sistémicas

Constelações Sistémicas
O que são?
Segundo Bert Hellinger, o AMOR obedece a três princípios-base na família, e que irão se repercurtir diretamente nas relações interpessoais e afetivas. Consistem na hierarquia, no equilíbrio (entre dar e receber) e no pertencimento. Assim, por hierarquia ou primeira ordem do amor, podemos entender a necessidade de que cada um ocupe o seu lugar em termos de precedência. Trata-se, portanto, de uma hierarquia cronológica, na qual quem veio antes precisa ser reconhecido como tal. Sem esse reconhecimento e o respeito a isso, há um desequilíbrio no sistema. Isso significa, portanto, que os pais vêm antes dos filhos, assim como o amor entre os pais vem antes da relação pai-filho ou mãe-filho, primeiro filho vem antes do segundo e assim por diante. É importante frisar que esta é uma ordem de precedência e não de importância.
 
A segunda ordem do amor é a necessidade de equilíbrio entre o dar e o receber, ou tomar, que deve existir em todas as relações.
 
A terceira ordem do amor, igualmente importante, é o pertencimento. Todos que fazem parte da família tem o direito de pertencer. Isso inclui os que morreram precocemente, os natimortos, deficientes, os filhos abortados e outras pessoas para quem a família não quer olhar. Enquanto não são lembradas e reconhecidas, o sistema não pode ter paz. Quando alguém é esquecido ou excluído, é negado a um membro a pertinência no sistema, e isso irá gerar uma necessidade irresistível do próprio sistema de restabelecer a integridade perdida e compensar a injustiça cometida.E como isso acontece? Alguém da família, provavelmente numa geração futura, ou várias gerações adiante, irá representar, ou imitar, o membro excluído. Irá seguir o seu destino. Com isso, provavelmente terá o mesmo destino do seu antepassado e, portanto, não poderá viver o seu próprio.
A partir desta ordem de trabalho, todos os demais temas serão correlatos e possíveis de serem tratados, entendidos, aceites, ressignificados e por fim curados.